Linha 4-Amarela

25 05 2010

Os usuários de metrô em São Paulo ganharam mais uma linha – a linha 4 amarela, para facilitar sua locomoção na cidade.

A linha é definida pelas estações Luz e Vila Sônia. O primeiro trecho entre as estações, Faria Lima e Paulista, era para ser inaugurada em abril deste ano, mas foi adiada para hoje (25). Um detalhe, a abertura dos portões da estação estava prevista para as 12h em ponto, mas eu passei lá 12:25 hrs e ainda não tinham liberado a entrada dos passageiros e pior, os funcionários não tinham previsão de horário. Ok, isso acontece.

Existia um grande número de pessoas no local para acompanhar o evento e também andar pela primeira vez no novo metrô. A aposentada Dolores Rocha era uma delas, ela estava passando no local e resolveu fazer uma paradinha. “ É muito bonito tudo isso, essa estação é muito chique, toda de vidro, moderna. Eu não ando muito de metrô, mas vou querer andar hoje só para conhecer”.

A nova linha é integrada às três principais linhas (1-azul, 2-verde e 3-vermelha), além de outras duas em projeto, e vai ter integração aos terminais de ônibus nas estações Faria Lima, Butantã, São Paulo-Morumbi e possivelmente na Vila Sônia, numa segunda fase… isso é mais para o futuro.

O novo metrô está bem moderno, segue um esquema parecido com o da linha 14 de Paris, os trens serão de seis carros e não terão separação entre os vagões (você vai poder ver do começo ao fim do trem).

Gente, eu poderia ter tirado algumas fotos para vocês conhecerem melhor a nova estação, mas eu também passei lá meio sem-querer e estava sem máquina e o meu celular não tem câmera (juro!).






Enquanto não chega o próximo trem…

25 05 2010



Por Stefanie Duarte

Enquanto a bola não começa a rolar nos campos da África do Sul, a população da cidade de São Paulo poderá ter um gostinho da Copa do Mundo na exposição itinerante “História do Futebol Brasileiro”, que contará com a participação da Samsung.

Até o final do mês de julho, algumas estações de metrô da cidade receberão a exposição, um projeto da Bellini Cultural que visa resgatar toda a história do esporte mais amado do País e destacar os craques que fizeram parte da trajetória vitoriosa do futebol brasileiro.

Como participante, a Samsung irá fornecer os equipamentos e telas de LCD e LED para a transmissão de imagens das Copas do Mundo e de momentos marcantes no futebol. A mostra passará pelas estações da Luz, Vila Madalena, Tatuapé, Paraíso e República.

A impressão que se tem ao entrar no metrô é de que alguém parou o carro e ligou o som lá fora, para quem não sabe que a mostra está acontecendo. Mas é só chegar mais perto para conferir boas histórias e vídeos interessantes. Para quem foge de passar um tempinho a mais no Metrô, é uma boa opção enquanto espera pelo próximo trem, principalmente naquele santo horário, das 18 horas.

Confira a programação:

Estação Luz – de 20.04 a 10.05;

Vila Madalena – de 09.05 a 27.05

Tatuapé – de 30.05 a 17.06;

Paraíso – de 20.06 a 08.07;

República – de 11.07 a 31.07.

Das 06h30h às 22h30





Seu álbum pode valer muito

24 05 2010

É possível contar nos dedos quem não tem o álbum da Copa do Mundo (eu sou uma delas), mas u vou falar uma coisa para vocês que estão completando o seu – ou que já completaram. Você pode ganhar uma bela grana com o seu álbum.

Eu tava procurando umas coisas no Mercado Livre e me deparei com os preços dos álbuns das Copas passadas. Alguém já viu quanto custa um álbum antigo? Olha, o preço é bem alto.

Tudo bem que você tem que desembolsar uma quantia grande para completar todo o álbum, são 640 figurinhas e cada pacotinho (que vem 3) custa 0,15 centavos, isso no final das contas dá R$ 99,90. Mas, se você guardar o seu, daqui alguns anos ele está valendo no mínimo o dobro do que você gastou.

Para vocês terem uma idéia, o álbum de 1998 está custando R$ 310, 00. Pensando um pouco mais no passado, o de 1986, você encontra por R$ 510,00. Para quem gosta, essa pode ser uma opção de negócio!





Em ano de Copa, esse é o assunto!

23 05 2010

Com a contagem regressiva já iniciada a Copa do Mundo, que começa no dia 11 de junho, é o evento mais comentado. Nessa época ninguém fala em outra coisa a não ser nela (até quem não entende de futebol quer dar palpite). Mas, a Copa também é tema de várias exposições culturais que está acontecendo aqui em São Paulo. Algumas opções são: o Museu do Futebol, o Memorial da América Latina e o Centro Cultural do Banco do Brasil.

“Copas de A a Z” vai mostrar a história da Copa do Mundo de uma maneira mais divertida. A exposição foi montada com 26 temas (uma para cada letra do alfabeto) e é no Museu do Futebol – no Estádio do Pacaembu. (De terça a domingo, das 10h às 17h. Praça Charles Miller. Preço R$ 6).

Na biblioteca do Memorial da América Latina, a mostra chama “Boladas”, que traz desenhos, pinturas, poesias e peças raras do mundo do futebol. Também no Memorial, na videoteca, está passando “O Cinema na Chuteira”, uma série de sessões com obras cinematográficas brasileiras dos últimos 50 anos sobre o tema. (Boladas, até 31 de maio, e Cinema na Chuteira, até 29 de maio. Memorial da América Latina. Sessões de filmes de terça a sexta, às 12h e 15h, e sábados às 12h00. Avenida Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda. Grátis).

E, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) a exposição é um pouco mais diferente. Onze cartunistas (como Ziraldo, Maurício de Souza e Chico Caruso) são os destaque da exposição “Craques do Cartum”. Os autores apresentarão caricaturas de boleiros, charges sobre os bons e maus momentos da seleção brasileira e sobre a popularidade do futebol ao redor do mundo. (Craques do Cartum. CCBB. A partir de 2 de junho. De terça a domingo, das 10h às 20h. Rua Álvares Penteado, 112, Centro. Grátis.)

Existe programação para todos os gostos. É só você escolher e ir…





Virada Cultural… de carro!

21 05 2010

Por Magdalena Bertola

Bom, a Virada pode ter sido super legal para muita gente, apesar de tanta briga e bêbados, os shows em geral são bem divertidos e as bandas gostam bastante de se apresentar pro pessoal que se desloca no meio de uma multidão daquelas para vê-los, além de ser de graça!
Mas para os motoristas (ou passageiros) a Virada foi um tanto quanto incomoda, claro que era um evento que tinha de tudo para não ter carros, mas muitas pessoas que precisaram cruzar o centro de carro (meu infeliz caso) tiveram de se contentar com uma boa espera sem nada pra fazer e com um pouco de medo do povo que havia passado do ponto com os narcóticos.
No meu caso, fui apenas do final do Minhocão até o Largo do Arouche e a rua Rego Freitas, e isso levou quase uma hora, sim sim, além de várias vias fechadas por causa dos shows, o congestionamento era de pessoas e não de carros. Por conta do grande volume de pessoas em todas as ruas famosas e vias vizinhas, os carros permaneciam parados durante boa parte do trajeto.
O causo foi o seguinte: fui levar minha mãe em uma festa na rua Rêgo Freitas, como sempre, peguei a avenida Francisco Matarazzo em direção ao elevado para pegar a avenida São João que, para a minha surpresa (pois incrivelmente havia me esquecido do acontecimento da Virada Cultural), a rua que dava acesso a S João estava fechada, tive, então, de ir até o Santa Cecília e de lá chegar até o local, e isso levou quase uma hora, e, coitada de mamãe, teve de ir metade do trajeto a pé pois perdeu a paciência de ficar no carro. Quem se deu mal fui eu, que tive de voltar pra casa – apesar de ter ficado louca para me jogar na festa e ver Living Colour, o desfile de luzes, as Sombras na Arquitetura, Velhas Virgens e Titãs –, de carro e enfrentar todo aquele transito!

Mas de qualquer forma, apesar das brigas e dos inconvenientes providos pelo evento, essa é uma iniciativa legal para quem gosta de se divertir com pouca grana. Portanto, com experiência de duas Viradas Culturais, digo, na próxima, vá com roupa confortável, dinheiro e celular bem escondidos e, de maneira alguma, se envolva em brigas. Pode, sim, ser difícil muitas vezes, mas num local cheio de gente e com um policiamento que não é dos mais eficientes, vale a pena levar um desaforo mas chegar inteiro em casa.

Mas, mudando de assunto, só posso dizer que na primeira Virada Cultural, o show do Inocentes foi ótimo e para minha surpresa foi calmo! Eu apoio a Virada Cultural, afinal São Paulo é uma cidade extremamente corrida e estressante, claro que com diversas opções de baladas e bares todos os dias da semana, mas esse tipo de evento em geral pode ser usado para rever ou simplesmente trombar sem querer naqueles velhos amigos ou conhecidos, além do mais, o metrô é 24 horas, e nossa grande e cinza cidade precisa, de vez em quando, de uma diversão. Mas apoio também às pessoas que deixam o stress e as “tretas” em casa para se divertirem e não “cobrar” visual ou brigas no evento.





ABBA-The Show na Virada

16 05 2010

Hoje, domingo, fui até a Praça Júlio Prestes, perto da estação da Luz, para ver o show do ABBA, às 15 horas. Mas calma, não era o original. Esse que eu fui ver foi o ABBA The Show – covers do conjunto sueco que inclui músicos que colaboraram com a banda original.

A Banda!

Acabei de voltar de lá, confesso que foi a primeira vez que eu fui à Virada, não fiquei muito tempo… Mas me surpreendi!

Para chegar até o local passei por vários palcos, com diferentes shows e principalmente pessoas – acho que eu nunca tinha visto uma variedade de gente tão grande. Cheguei ao local do show e fiquei lá parada só olhando… O show começou as 13h10 min e a cada música, maior o número de pessoas que chegavam.

O movimento

Lá conversei com algumas pessoas, uma delas foi a empresária Ana Maria, 53. “É a primeira vez que eu participo da Virada Cultural, nunca me interessei muito por essas coisas oferecidas pelo governo, tenho um pouco de medo da organização, preconceito da minha parte. Mas a minha sobrinha me falou do show do ABBA e eu resolvi arriscar. Esse grupo estava fazendo shows em casas de espetáculo aqui em São Paulo, mas eu não consegui ir, então resolvi vim aqui. Estou gostando muito e achando tudo muito organizado em sem tumulto. Quem sabe ano que vem eu esteja aqui de novo”.

Quem não foi este ano, se programa para ir no ano que vem. Acho que vale a pena. Aqui em São Paulo existem tantos programas bons e de graça que devem ser mais aproveitados.





E aí, vamos na Virada Cultural?

14 05 2010

Entre sábado (15) e domingo (16) vai acontecer a Virada Cultural Paulista 2010. São 24 horas de shows, peças de teatro, cinema… Uma programação completa no centro da cidade. Promovida pelo Governo do Estado deste 2007, a Virada atrai o mais variado público.

A estudante de artes cênicas Mayara Martins foi o ano passado e garante que não vai perder este ano. “É muito bem organizado, reúne pessoas de vários lugares interessados em uma única coisa: diversão. Vale a pena conhecer. Muitas pessoas acham que por ser no centro da cidade, existe perigo, mas os locais são tranqüilos e seguros. E a programação desde ano é muito boa”.

Para você que está querendo curtir a virada, a SPTrans criou uma linha especial que fará todo o circuito que tem programação. A Linha Virada Cultural estará disponível a partir das 17h, do sábado, até às 20h do domingo e circulará pela região dos palcos, cinemas, pistas e muito mais. Serão veículos acessíveis, para facilitar o embarque e desembarque de pessoas com mobilidade reduzida.

Aqui são algumas das atrações que você vai encontrar:

Zélia Duncan
Living Colour (EUA)
ABBA (Suécia/Inglaterra) – the Show
Jair Rodrigues
Leandro Sapucay
Titãs
Planta e Raiz
Cidade Negra & Ras Bernardo

Mas para saber a programação completa, clique aqui!